• Botox

    por  • 7 de abril de 2013 • 

    O que é a Toxina Botulínica tipo A (Botox®)

    A Toxina Botulínica (botox) é uma substância proteica que tem origem biológica e propriedade paralizante, sendo altamente tóxica em sua forma natural. É obtida através da bactéria Clostridium botulinum, a principal causadora do botulismo, que, quando em condições adequadas que propiciam sua reprodução, ela cresce e produz alguns sorotipos de toxinas como, por exemplo, o sorotipo A, B, C1 e D. Dentre todos os produzidos, o sorotipo A da Toxina Botulínica é, cientificamente provado, o mais eficaz e potente, que faz com que os efeitos perdurem por mais tempo, por isso é o mais utilizado.

    Foi o oftalmologista americano Alan. F. Scott que, depois de ter descoberto que a Toxina Botulínica era uma alternativa eficaz e não cirúrgica contra o estrabismo, foi quem descobriu que a Toxina Botulínica quando aplicada nos músculos, relaxava os mesmos. Depois de um tempo, os médicos canadenses Jean e Alastair Carruthers começaram as primeiras pesquisas sobre o uso da Toxina Botulínica (BOTOX ) em tratamentos na estética. Foi então a partir do uso terapêutico que a Toxina Botulínica passou a ser usada na estética.

    Frasco de Botox em LondrinaTentando usufruir melhor dessa propriedade paralisante que a Toxina Botulínica possui, a Toxina Botulínica tipo A foi sintetizada em laboratório a partir da Toxina Botulínica bruta e venenosa da cultura de Clostridium botulinum, sendo ela purificada e esterelizada, para poder ser utilizada como tratamento nos seres humanos. As Toxinas Botulínicas tipo A sintetizadas mais conhecidas atualmente são: o BOTOX que é a marca americana da Toxina sendo também a primeira a ser desenvolvida, o DYSPORT da Suécia e o PROSIGNE de Israel.

    O Botox – Toxina Botulínica tipo A – pode ter seu efeito potencializado por antibióticos aminoglicosídicos ou quaisquer outras drogas que interfiram na transmissão neuromuscular. Os pacientes que fazem o uso desta Toxina devem ser bem observados.

    A Toxina Botulínica tipo A tem uso terapêutico no estrabismo, blefaroespasmo, espasmo hemifacial, distonias, espasticidade e doenças urológicas. Já na área estética é muito utilizada para reduzir as linhas de expressão e tratar da hiperidrose.

     

    Botox Londrina

    O cirurgião plástico Dr. Walter Zamarian Jr. comenta sobre as indicações do Botox Londrina.

     

    A Toxina Botulínica tipo A (Botox ®) e o Botulismo

    Não há possibilidade de contrair butolismo através da aplicação da Toxina Botulínica tipo A (BOTOX) e com nada devem se preocupar os pacientes que fazem o tratamento com o BOTOX. As doses utilizadas para o tratamentos estéticos com a Toxina Botulínica tipo A (BOTOX) são, aproximadamente, 40 vezes inferiores às que seriam capazes de causar efeitos colaterais maiores, semelhantes aos da doenças do botulismo.

    A Toxina Botulínica tipo A (BOTOX) é produzida em laboratório, sendo sua fórmula desenvolvida justamente para a utilização humana e, apesar de seu princípio ativo principal ser obtido da bactéria Clostridium botulinum, a principal causadora do botulismo, isso nada interfere na saúde dos que se beneficiam pelo BOTOX, pois em laboratório, a Toxina Botulínica tipo A (BOTOX) é esterelizada e purificada, transformando-a num produto de total segurança para tratamentos em humanos. Foi também na possibilidade de utilizar-se de doses menores, que têm chances ínfimas de proporcionam efeitos colaterais, que médicos de todo o mundo realizam centenas de tratamentos com a Toxina Botulínica todos os dias. Nós da Clínica Zamarian, garantimos os melhores resultados de tratamentos estéticos com a Toxina Botulínica tipo A (BOTOX), proporcionando maior segurança aos nossos pacientes.

     

    Como age a Toxina Botulínica tipo A (Botox®)?

    A Toxina Botulínica tipo A (BOTOX) é injetável e aplicada em pequenas quantidades, ou seja, por meio de injeção com uma agulha muito fina, a Toxina Botulínica tipo A (BOTOX) é inserida no músculo. Sua aplicação se dá diretamente no músculo prejudicado, especificamente na placa motora, que é o local onde se encontram os nervos do músculo, os quais são responsáveis pela contração.

    Ao entrar em contato com o músculo, a Toxina Botulínica tipo A (BOTOX) destrói os brotos que formam a placa motora, tirando então a possibilidade do músculo contrair, ou seja, paralisa o músculo. Em aproximadamente 60 dias os brotos que formam a placa motora voltam a nascer, mas não têm forças suficientes para que haja a contração muscular, por isso, as linhas de expressão são suavizadas.

    Na face, os brotos nervosos regeneram-se em aproximadamente seis meses, fazendo com que a contração natural do músculo volte ao normal. Portanto, não é o efeito da Toxina Botulínica tipo A (BOTOX) que acaba, mas sim, os brotos nervosos que se regeneram, fazendo com que a contração muscular volte.

    Em suma, o Botox Londrina age principalmente bloqueando a ação da acetilcolina, que é o neurotransmissor responsável por levar os estímulos elétricos do cérebro aos terminais nervosos do músculo. O resultado disso é a diminuição da contração muscular, pois o músculo não recebe o comando para contrair.

     

    Dr. Zamarian realiza aplicação de Botox Estético em pacientes de Londrina, Paraná, Brasil e Região, procurando manter a naturalidade do resultado.

     

    Toxina Botulínica tipo A (Botox®) para a Face

    Os efeitos do tempo e os fatores externos como o sol, o fumo e o estresse deixam nossa face com um aspecto não saudável, apagado e sem brilho, promovendo rugas, linhas finas, marcas de expressão e sulcos. Com o passar do tempo a pele só se torna mais degenerada e opaca quando não tratamos dela. A Clínica Zamarian oferece aos seus pacientes, injeções de BOTOX para combater esses sinais de envelhecimento e restaurar uma aparência mais saudável e jovial. Feito de uma forma altamente diluída, esterelizada e purificada de Toxina Botulínica tipo A, o BOTOX cosmético relaxa a musculatura facial para reduzir a proeminência das rugas da região frontal (testa), área ao redor dos olhos (“pés-de-galinha”) e muito mais. As injeções de Botox Londrina são aplicadas com um método rápido e conveniente, sem cortes e sem ter que ir a um centro cirúrgico para apagar anos de sua aparência cansada. O resultado tem duração de quatro a seis meses.

    O interessante é que pacientes que fazem o uso da Toxina Botulínica tipo A (BOTOX) regularmente, observam que necessitam cada vez menos injeções de BOTOX e por ser tratamento seriado, cada vez mais é feito durante um intervalo mais espaçado para obterem o resultado que desejam, devido ao enfraquecimento dos músculos, resultado das aplicações regulares da Toxina Botulínica tipo A (BOTOX).

     

    Locais da Face em que a Toxina Botulínica tipo A (Botox®) pode ser aplicada

    Pontos de aplicação da Toxina Botulínica tipo A - Botox, DysportDr. Zamarian irá determinar os locais exatos de aplicação da Toxina Botulínica tipo A (BOTOX), ao examinar a capacidade de movimento da musculatura facial do paciente. Entretanto, os locais em que o BOTOX pode ser aplicado são:

    • Corrugadores – região glabelar, entre os olhos, a famosa “ruga da preocupação”;
    • Procerus – região glabelar, entre os olhos, responsável pela ruga horizontal na raiz do nariz;
    • Depressor do ângulo da boca – as linhas que saem do nariz e acompanham o ângulo da boca, famoso “bigode chinês”;
    • Elevador do lábio – cantos dos lábios, quando com sorriso aberto, a gengiva aparece;
    • Mentoniano – aplicação no mento (queixo) quando este é contraído;
    • Região frontal – toda testa;
    • Laterais do nariz – também chamado de "gatinho";
    • Região orbicular dos olhos – área ao redor dos olhos, famosos “pés-de-galinha”;
    • Sobrancelha – no supercílio, para que este fique arqueado.

     

    Características da Toxina Botulínica tipo A (Botox®)

    • a aplicação feita com a Toxina Botulínica tipo A (BOTOX) é sintomática, ou seja, ela apenas alivia os sintomas por determinado tempo;
    • os efeitos do BOTOX não são permanentes, tendo duração aproximada de 4 a 6 meses quando aplicado na face e de até dez meses quando para tratar Hiperidrose;
    • os resultados se desenvolvem totalmente em até dois dias e se estabilizam entre 10 e 14 dias;
    • simples e de eficácia garantida;
    • pode ser aplicada na face (para rugas, paralisia facial ou enxaqueca) e nas glândulas sudoríparas, quando for para tratamento da Hiperidrose;
    • a aplicação da Toxina é rápida e feita em consultório, sem necessidade de sedação;
    • não é agressiva e não é invasiva;
    • o tratamento feito com a Toxina Botulínica tipo A deve ser feito de forma seriada, ou seja, em várias sessões;
    • a recuperação da aplicação do BOTOX é imediata, ou seja, o paciente pode voltar aos seus compromissos sem ficar prejudicado;
    • não exige muito repouso após feita a aplicação;
    • promove resultados imediatos.

     

    Vantagens da Toxina Botulínica tipo A (Botox®)

    • aplicação rápida;
    • pode ser utilizada associada a outros procedimentos;
    • as linhas de expressão, sulcos e rugas indesejadas por anos podem desaparecer numa única sessão de 20 minutos;
    • não é necessário se afastar dos compromissos após feita a aplicação do BOTOX;
    • os efeitos colaterais são raros e transitórios e também dependem muito do local onde ocorreu a aplicação;
    • tratamento progressivo: para quem faz o uso do BOTOX regularmente, quanto mais vezes se aplica, menos injeções serão necessárias nas aplicações futuras para se obter o resultado desejado;
    • Pode melhorar enxaqueca.

     

    O Tratamento para Enxaqueca com Botox Londrina

    A enxaqueca (migrânea), considerada frequente e severa dor de cabeça (cafeléia), está presente na vida de mais de 3 milhões de pessoas em todo o mundo. O tratamento para enxaqueca pode ser feito tanto por medicamentos quanto por medidas não medicamentosas.

    Uma formas alternativas e não medicamentosas de se tratar a enxaqueca, que apesar de pouco conhecida pelas pessoas é de grande eficácia, é o tratamento de enxaqueca por injeções de Botox® (toxina botulínica tipo A).

    O Botox®, conhecido no mundo inteiro por sua eficácia no tratamento de rugas, hiperidrose, espasmos, estrabismo, distonia cervical e blefaroespasmos, é também utilizado no tratamento de enxaqueca.

    A toxina botulínica tipo A é injetada nos músculos da sombrancelha, testa e olhos, na região perto das temporas e na região superior da nuca. Os estudos, ainda não completamente construídos, indicam que a toxina botulínica tipo A age no organismo reduzindo a tensão do músculo, consequentemente criando menos pressão no sistema nervoso. Além disso, estudiosos falam em um bloqueio dos receptores de dor nas células nervosas com o tratamento com Botox.

    A quantidade de sessões e injeções de Botox é variável, dependendo de cada paciente. A dosagem para o tratamento de enxaqueca com o Botox é de aproximadamente 80 unidades por paciente.

    Após feita a aplicação do Botox Londrina para o tratamento de enxaqueca (migrânea), os resultados são quase que imediatos e envolvem:

    • importante diminuição dos ataques de enxaqueca no mês (92% das pessoas que tratam enxaqueca com Botox);
    • eliminação total da enxaqueca (1/3 das pessoas que tratam enxaqueca com Botox);
    • caso venha a acontecer algum ataque, há uma importante redução na intensidade dele, pois quando vêm, os ataques vêm de forma atenuada;
    • o uso de remédios para enxaqueca se tornam quase dispensáveis;
    • diminuição do vômito nas crises mais severas.

    O paciente deverá passar por avaliação prévia com Dr. Zamarian e passar informações sobre a enxaqueca que sofre, para que se possa decidir sobre quantidade a ser injetada, as sessões, etc.

    Agende uma consulta na Clínica Zamarian e saiba mais sobre o tratamento da enxaqueca com a toxina botulínica tipo A (Botox).

     

    A Toxina Botulínica tipo A (BOTOX) e a Hiperidrose: o tratamento para Hiperidrose

    Algumas pessoas costumam suar muito nas axilas, palmas das mãos ou plantas dos pés. Existe tratamento cirúrgico para essa condição denominada Hiperidrose. Entretanto, para quem não deseja se submeter a um tratamento cirúrgico ou tem receio de não haver melhora completa mesmo operando, a Toxina Botulínica tipo a (BOTOX) em Londrina, Paraná, pode ajudar.

    Com uma única aplicação de BOTOX, os sintomas de sudorese podem desaparecer por seis a oito meses ou mais. Tem havido uma excelente aceitação por parte dos pacientes que aplicam BOTOX para tratar a Hiperidrose e a grande maioria necessita apenas de duas sessões para aplicação do BOTOX no ano.

    O que é a Hiperidrose

    A Hiperidrose é um nome dado a uma disfunção do sistema nervoso, geralmente de causa desconhecida, que leva a uma sudorese excessiva em determinadas regiões do corpo e, consequentemente, aumento localizado da sudorese. Atinge cerca de 1% da população. Geralmente acomete as mãos, os pés, as axilas e a face, isoladamente ou em associação, podendo ocorrer em qualquer área do corpo. O suor ocorre sem que nada o possa impedir, nas horas mais incertas e delicadas, causando grande incômodo e enorme constrangimento. A Hiperidrose pode ser Primária ou Secundária.

    Hiperidrose Primária

    A hiperidrose primária, ou idiopática, é uma disfunção rara e permanente do centro sudomotor do cérebro, de causa desconhecida. Esse centro sudomotor, na hiperidrose, estimula o sistema nervoso simpático de maneira exagerada, ocasionando função exagerada das glândulas sudoríparas em determinadas áreas do corpo.

    Quando dizemos que é primária, significa que não há causa conhecida e os efeitos podem iniciar na infância, ou em qualquer fase da vida, e permanece o resto dos anos.

    • há um componente genético importante na hiperidrose primária;
    • a incidência é igual em ambos os sexos, porém a sudorese axilar predomina mais em mulheres;
    • acomete todas as raças, sendo mais frequente em judeus e asiáticos;
    • as áeras mais acometidas são as mãos e axilas;
    • há uma diferença de intensidade dos sintomas de acordo com as estações do ano;
    • pode ser desencadeada principalmente pelo stress, mas também pelo calor e gustação;
    • normalmente não piora aos exercícios;
    • cessa durante o sono;
    • o número e aspecto histológico das glândulas é normal.

    Hiperidrose Secundária

    Hiperidrose Secundária, é aquela associada a uma causa. O mais freqüente é poder estar associada à obesidade, menopausa, uso de drogas antidepressivas, alterações endócrinas e alterações neurológicas com disfunção do sistema nervoso.

    • Medicamentos neurológicos e psiquiátricos podem desencadear hiperidrose, bem como morfina e excesso de hormônios da tireóide.
    • Superdosagens de aspirina ou acetominofen podem causar sudorese.
    • A falta de hormônios femininos na menopausa, pode provocar suores, o que ocorre também em homens com déficit de testosterona, embora seja mais raro.
    • A hipoglicemia (baixa taxa de açúcar no sangue) pode provocar sudorese.
    • Excesso de suor pode ocorrer quando a febre, por uma infecção está diminuindo com a administração de anti-térmicos.
    • O hipertiroidismo, uma doença da glândula tiróide é causa de hiperidrose secundária.
    • Várias infecções, como tuberculose, malária e outras podem causar sudorese profusa.

    Um aumento de sudorese pode ocorrer em algumas situações cotidianas , sem que isso signifique uma Hiperidrose. Pode haver aumento da sudorese, ao utilizar algumas comidas e bebidas entre elas, muita cafeína ou álcool e comidas picantes. Também é normal um aumento de suor com exercícios, clima quentes e estados de tensão emocional.

     

    Opções de Tratamento da Hiperidrose

    • Toxina Botulínica Tipo A (Botox, Dysport): O tratamento com Toxina Botulínica tipo A (Botox / Dysport) é realizado com aplicação em pontos na área acometida. Seu período de duração é maior que quando usado para rugas e tem durado em média, na Clínica Zamarian, 6 a 8 meses. O procedimento é realizado sem internação, no ambiente do consultório médico, e o paciente pode retornar as suas atividades normais no mesmo dia. É o nosso tratamento de escolha.
    • Simpaticotomia ou Simpatectomia: A inervação das glândulas sudoríparas é feita pelo sistema nervoso simpático. É o estímulo exagerado que chega nas glândulas, através do sistema nervoso simpático, que determina a sudorese. A simpaticotomia, para o tratamento das hiperidroses palmar, axilar e facial, consiste na secção de determinados pontos do tronco simpático, localizado no interior da cavidade torácica. Com isto, o estímulo nervoso para as glândulas sudoríparas cessa e a sudorese desaparece. Pode haver o invonveniente, após este tratamento cirúrgico, de surgir aumento de sudorese em outras áreas, como o tronco (Hiperidrose Compensatória). É realizado por um cirurgião torácico.
    • Radioterapia: Já foi usada no tratamento da hiperidrose axilar, entretanto as doses necessárias para o desaparecimento da hiperidrose podem levar a complicações graves como dermatite actínica, fibrose e retração da pele axilar, limitando os movimentos do membro superior.
    • Excisão das Glândulas Axilares: Consiste na retirada de segmento da pele da axila rica em glândulas sudoríparas. O resultado varia conforme o tamanho da área retirada. Pode ocorrer formação de cicatriz hipertrófica limitando a movimentação do membro superior.
    • Lipoaspiração da Região Axilar: Consiste na aspiração da gordura axilar. Não aspira glândulas sudoríparas. Seu efeito é, portanto, muito duvidoso.
    • Antiperspirantes (Paliativos): • Glutaraldeído a 10%: age diretamente sobre as glândulas sudoríparas. Usado para o tratamento da hiperidrose plantar. Seu efeito pode ser obtido em 24hs. Produz uma coloração marrom na área aplicada, motivo pelo qual não e usado nas mãos. A sudorese retorna em média 7 dias após a suspensão do tratamento. • Hexaidrato cloreto de alumínio a 20%: seu mecanismo de ação não é bem conhecido, provavelmente leva a formação de tampões na luz dos ductos das glândulas. Seu efeito diminui ao longo do tempo. Irritação da pele da região aplicada pode ocorrer em até 50% dos pacientes. A sudorese retorna poucos dias após a suspensão da aplicação.
    • Iontoforese: Consiste na aplicação de corrente galvânica na região da pele acometida por sudorese. O mecanismo de ação ainda não é bem conhecido. Sua eficácia gira em torno de 80%. Aplicações diárias são necessárias no início. Um contato perfeito entre o aparelho e a pele é necessário para que não apareçam ilhas de sudorese na região. A sudorese retorna após a interrupção do tratamento. Ocasionalmente podem ocorrer prurido, reações eritematosas, vesículas, alteração da sensibilidade, etc. Queimaduras de II grau e até necrose já foram descritas. Usado no tratamento da hiperidrose palmar, axilar e plantar.
    • Medicamentos: Não existe nenhuma classe de medicamento de uso especifico para o tratamento da hiperidrose. Medicamentos dos grupos dos anticolinérgicos, beta-bloqueadores e psicotrópicos podem levar a uma diminuição da sudorese, porém os efeitos colaterais sistêmicos impossibilitam seu uso a longo prazo.

    Entre em contato com a Clínica Zamarian e agende uma avaliação para saber mais do tratamento da Hiperidrose com a Toxina Botulínica tipo A (BOTOX).

     

    A Paralisia Facial e a Toxina Botulínica tipo A (Botox®): a melhora na Paralisia Facial

    Quando os tratamentos fisioterapêuticos e medicamentosos não apresentam resultados satisfatórios para o portador de paralisia facial ou quando este deseja um tratamento alternativo, a cirurgia plástica oferece o tratamento da paralisia facial com a toxina botulínica tipo A (Botox), principalmente melhorando o movimento da pálpebra (bléfaro) e o equilíbrio facial.

    A toxina botulínica tipo A (Botox) é aplicada para suavizar as sequelas da paralisia facial, que são alterações inestéticas na aparência como contração excessiva do músculo, pálpebra caída (ptose palpebral), boca repuxada, enrugamento da face, entre outras.

    Detalhes da face na paralisia facial que podem ser melhorados com o uso do Botox:

    • sobrancelhas: o Botox pode equilibrar os supercílios, uma vez que a sobrancelha do lado paralisado tende a cair;
    • pálpebras: o uso da toxina botulínica diminui a diferença de movimento das pálpebras, que costuma ocorrer na paralisia facial;
    • nariz: na paralisia facial, o nariz pode ser desviado para o lado sadio, enquanto que a aplicação de botox no lado sadio pode diminuir a força dos músculos que causam esse desequilíbrio, restaurando a naturalidade do terço médio da face;
    • boca: da mesma forma que o nariz, a boca pode ser desviada para o lado sadio, que não está paralisado, e ainda de uma forma mais dramática, esse desvio é muito mais evidente durante a fala, ainda mais do que em repouso. Dessa forma, o botox deve ser aplicado nos grupos musculares corretos, a fim de se equilibrar a boca, evitando causar efeitos indesejáveis, como alteração importante da mímica e também que o paciente "babe" sem perceber;
    • sincinesias: as sincinesias são bastante comuns na paralisia facial e consistem de movimentos involuntários indesejados, que ocorrem quando um determinado grupo muscular é estimulado. O uso de botox pode amenizar ou até cessar os movimentos indesejados de sincinesias na paralisia facial.

    Dr. Walter Zamarian Jr. realiza aplicações de toxina botulínica tipo A (Botox) em pacientes portadores de paralisia facial para melhorar o aspecto da face afetada, promovendo excelentes resultados. Saiba mais sobre o tratamento da paralisia facial com Botox (toxina botulínica tipo A) agendando uma consulta em nossa Clínica.

     

    Espasmo Hemifacial e o Botox

    O espasmo hemifacial é caracterizado por contrações de músculos de metade de uma face inervados pelo facial, possivelmente devido a irritação do nervo facial daquele lado por compressão vascular em sua emergência do tronco cerebral. Os músculos acometidos são: frontal, zigomático maior, risório, platisma e orbicular dos olhos.

    O Botox pode ser utilizado no tratamento do espasmo hemifacial a fim de se evitarem as contrações (espasmos tônicos) dos músculos, através da aplicação de 5 unidades em cada ponto, sendo essa aplicação individualizada para cada caso.

    A melhora das contrações é sensível e pode-se esperar uma melhora de cerca de 80% no tratamento.

    Deve-se tomar o cuidado de se realizar as aplicações nos pontos específicos para espasmos hemifaciais, a fim de se evitarem efeitos indesejáveis, como desvio da rima bucal e queda do supercílio.

    A aplicação do Botox para espasmos hemifaciais pode devolver a autoestima para as pessoas que sofrem dessa condição e que sentem consequências da exposição em público. Sua duração deve ser a mesma do Botox Estético, de quatro a seis meses.

     

    Uso de Botox para minimizar os efeitos da Neuropraxia do Mentoniano

    Durante a lipoaspiração de submento (papada), que é realizada em cirurgia plástica de lifting facial, minilifting cervical, ou simplemente apenas a lipo de submento, algumas pessoas com variação anatômica em que o nervo mentoniano pode ser mais baixo que o normal, podem apresentar uma diminuição temporária de sua função, decorrente de um edema perto do nervo ou envolvendo o nervo. Essa condição é muito rara, mas quando existe, tem no Botox uma excelente solução. Trata-se de uma diminuição apenas funcional, sem lesão estrutural, de modo que o nervo se encontra íntegro, mas deixa de conduzir adequadamente os impulsos nervosos pelo período de até quatro meses (neuropraxia).

    A neuropraxia do mentoniano, nesses casos, implica, principalmente, em função prejudicada do músculo depressor do lábio inferior. Assim, isso é notado principalmente quando o paciente sorri, pois o lábio inferior não consegue descer, como no lado não acometido, ficando com o lábio inferior mais alto no lado afetado durante o sorriso.

    Para equilibrar essa condição, o cirurgião plástico pode aplicar 2 a 3 unidades de botox no ponto mais inferior do músculo depressor do lábio inferior do lado sadio, para diminuir sua força pelo período aproximado de 4 meses, sem contudo afetar a mímica. O sorriso passa a ficar mais equiibrado, com os dois lados do labio inferior na mesma altura e vão tendo sua função de volta aproximadamente na mesma época.

    Em alguns casos selecionados, o mesmo tratamento pode ser utilizado para casos de praxia do ramo bucal do nervo facial, que causa desvio da boca para o lado sadio.

     

    Como elevar o Canto da Boca com o Botox

    Uma queixa muito comum nos consultórios de cirurgiões plásticos e de dermatologistas é a boca triste, com os cantos caídos. O Botox é um tratamento muito eficaz para elevar os cantos da boca, sendo o tratamento de escolha para isso (e não preenchimentos, que acabam não resolvendo o problema de modo adequado).

    O Botox, quando aplicado na inserção mandibular do músculo depressor do ângulo da boca, faz com que esse músculo relaxe, elevando o canto da boca, melhorando o aspecto do sorriso e deixando a/o paciente com um "semblante mais feliz".

    Conhecimento de anatomia é fundamental para essa aplicação, onde são necessárias 2 a 5 unidades, a depender de cada caso, sendo que a aplicação deve necessariamente ser sobre o depressor do ângulo da boca, evitando medializar o ponto de aplicação, a fim de não agir sobre o músculo depressor do lábio inferior, o que faria com que o lábio inferior se elevasse durante o sorriso.

    A correta aplicação de Botox no músculo depressor do ângulo da boca, ao nível extremo inferior da mandíbula, consegue devolver o sorriso e a alegria àquelas pessoas que perderam a capacidade de demonstrar sua felicidade. Em nossa clínica, iniciamos com uma aplicação de 2 a 3 unidades, podendo reforçar essa aplicação em uma reavaliação após 10 dias.

    Entre em contato com a Clínica Zamarian de Cirurgia Plástica e saiba mais sobre Botox Londrina e suas diversas aplicações.

     

    O que você deve informar ao seu Cirurgião Plastico antes de realizar o tratamento com Toxina Botulínica tipo A (Botox®)

    Antes de se realizar o tratamento com Botox, como em todos os outros procedimentos, o paciente deve informar ao médico sobre qualquer condição anormal que afete a área a ser tratada. Na consulta com seu cirurgião plastico, antes de realizar o procedimento com o Botox, você deverá informá-lo de qualquer alteração muscular ou nervosa que você tenha, pois é muito importante para ele saber da condição dos seus músculos e nervos antes de aplicar o Botox.
    Pacientes que têm Esclerose Lateral Amiotrófica (Doença de Lou Gehrig e Doença de Charcot), Miastenia Grave (Miastenia Gravis) ou Síndrome de Lambert-Eaton devem relatar ao cirurgiao plastico, pois essas doenças podem aumentar os riscos de efeitos colaterais graves após a aplicação de Botox, como a disfagia (dificuldade na deglutição), bem como podem comprometer a respiração fazendo com que o paciente tenha dificuldades em respirar.

     

    Contra-indicações da Toxina Botulínica tipo A (Botox®)

    Dr. Zamarian contra-indica a aplicação da Toxina Botulínica tipo A (BOTOX) em indivíduos com histórico de reações anafiláticas, hipersensibilidade conhecida à formulação e na presença de infecção no local da injeção. Pessoas que tem alergia a ovo (devido a albumina presente), gestantes e pacientes em uso de antibiótico do tipo aminoglicosídeo também devem se abster da Toxina. Lactantes devem evitar o uso da Toxina Botulínica tipo A, pois os estudos ainda desconhecem os efeitos dessa substância no leite materno. Outras contra-indicações da Toxina Botulínica tipo A são para os pacientes que tem Esclerose Lateral Amiotrófica (Doença de Lou Gehrig e Doença de Charcot), Miastenia Grave (Miastenia Gravis) ou Síndrome de Lambert-Eaton, devido a essas doenças estarem ligadas diretamente ao sistema nervoso e aos músculos; bem como pacientes que tiveram qualquer reação alérgica a produtos que contém a toxina botulínica tipo A, como Myobloc® ou Dysport®.

     

    Recomendações após feita a aplicação da Toxina Botulínica tipo A (Botox®)

    A aplicação do Botox Londrina pode causar fraqueza muscular e diminuição temporária do campo de visão (quando aplicado em área perto do olho), então Dr. Zamarian recomenda que o paciente saia do consultório acompanhada por alguém, pois não é recomendado que o paciente dirija ou opere máquinas no primeiro dia. Nas quatro primeiras horas a paciente deve tentar não deitar para que a Toxina aplicada não se espalhe para locais não desejados.

    Além disso, ele recomenda não massagear e nem passar cremes no local onde foi feita a aplicação, nas primeiras 24 horas. Atividades físicas leves e pesadas, jato de água direto no rosto e contrações musculares devem ser evitadas também nesse período de tempo.

     

    Toxina Botulínica tipo B

    O sorotipo B da Toxina Botulínica é comercializado com o nome comercial de Myobloc e tem sua indicação, principalmente, nos pacientes com resistência importante à Toxina Botulínica tipo A. É utilizado somente nos Estados Unidos e seu efeito e duração são menores que do tipo A. No Brasil, ainda ão foi liberada para uso e nem regulamentada.

     

    Agende uma consulta para Botox Londrina com Dr. Walter Zamarian Jr.

    Nossa equipe na Clínica Zamarian é dedicada a ajudar os pacientes a melhorarem sua aparência para que se sintam mais atraentes e confiantes. Entre em contato com nossa Clínica no Paraná, Brasil para agendar uma consulta para Botox.